Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

afterall

Trudeau your foto wasn´t racist

por maria sou, em 19.09.19

 

20190919_131000.jpg

 

My english is quite limited. In spite of that,  i´ll try to make myself clear.

If he was racist, he would never had painted is faced darker.

When does peole stop will stop to be stupid and use everything to distort it the way they want to be understood.

We can´t say black, we must say neger. Well, i´m not white or whitish, i´m beije. If I say black that´s because I meant to refer african ethenia. And I usual say, african people. I don´t mention the colour. 

I usual talk hopenely of racist usues, things that hapen to black people, even if african people are listening. In the begining, they feel shoked listening to me, but then they understand that I treat everyone with respect not being condescending. That would mean that I felt superior. So, I talk about things with prejudice, I talk about things the way they must be meant, hopenely with respect.

It´s time to stop making victims, it´s time to include. 

It´s time to talk hopenely about what happened, what still hapens, so we can all move on and make a new story. Not forget or pretend it wasn´t so bad. Move on, as we do when bad things happen to us in our daily life, and we keep going on.

A few days a go, a coleague (african) was surprise because after she told us an attitude of a woman to her, i answeard that it had nothing to do with the tone of the skin, or the diference of age, or because she is a woman. It happened because it´s the way portuguese go before getting better aquaintace with the other.

First, she almost jumped, then she understood she probably was jumping into standard conclusions and that maybe there are more explanations than keep "strocking the guy already on the floor".

Releave the tension about things. Let guiltys reboot of their condition, let victims breath deep of releave as they are free of chains, let´s walk together to a new day. There will be always mean people disturbing people from other origin, disturbing ugly or short peole, shy people, helpless people. There will be always people feeling bad with themselves wanting blaming other people for that and crying for their attention.

Let´s be racional and don´t distorce what is what it is.

Feeling that the world sometimes play the saint while hiding a stone behind their back,

Maria Sou

Vamos a votos

por maria sou, em 13.09.19

WIN_20190913_11_48_12_Pro (2).jpg

 

Preocupa-me.

Preocupa-me, sincera e seriamente, uma espécie de estagnação intelectual e motivacional que se instalou nos eleitores.

Antigamente, não se podia falar. Agora, não lhes apetece.

Falar, fala-se. Mas como diz o ditado, "palavras leva-as o vento".

É cada um por si. Desde que a vida corra, deixa rolar.

Eu vejo os noticiários e as propagandas e fico estupefacta.

As panelinhas, a corrupção, a falta de jurisdição ou antes, a falta de ação da jurisdição sobre estes atos. A incompetência que conduz à perda de milhões de euros que depois o contribuinte vai pagar. O compadrio. A desconhecimento da realidade instaurado pela cibernética. Sim, porque há tanta imaterialidade neste novo mundo da teia, que parece que estamos a lidar com super-heróis: " Ora estão aqui, ora já se foram."

As notícias de atos mirabolantes da alta finança, impunes e debitados ao inocente contribuinte. Nem sequer, grandes atos de inteligência. Apenas trapacices mundanas e merceeiras de grupos fechados que se julgam e por vistos são intocáveis. Não pensaram foi que houvesse quem pudesse chegar aos valores e fazer as contas. É tudo uma questão de boa vontade e verdadeiro conhecimento. Felizmente, há quem ainda vá tendo acesso ao que lhe devia estar interdito e tenha a noção do que está a ver.

O mundo, a forma como está a ser vilipendiado e destruído. 

Os jovens dizem que não querem saber dos velhos, mas a verdade, é que os velhos também se estão um pouco a borrifar para os novos. Afinal, já têm a vida quase cumprida, é uma questão de gozarem um bom resto de vida e, entretanto, vão lixando o legado às gerações vindouras, distraídas que andam com o seu próprio umbigo, surf e uma atitude de "tá-se bem".

Nós, os mais velhos, ainda tivemos uma noção da definição do paraíso. Temo que os mais novos, não venham a usufruir dessa regalia por muitas mais década.

E entra aqui as eleições. 

Espanta-me que as mesmas pessoas que ainda há pouco tudo tiravam ao Zé Povinho, como tinham a lata de dizer, desabridamente, e achava que este tinha de aguentar em prol da recuperação económica que a má governação, os tais compadrios e a negligente jurisdição tinham causado, são as mesmas que agora vêm apregoar medidas contrárias a tudo o que tinham dito até aí.

Discursos meramente cativadores de voto, porque em campo, deixaram evidente, qual a consideração que tinham pelo povo que este país governa.

Se se sujam, por trocos, em kms dando moradas falsas, (o que devia ter conduzido à expulsão imediata desses deputados do Parlamento), o que farão se tiverem os meios para se governarem a seu bel prazer?

E não aparece sangue novo!

Parecem aqueles ateus e agnósticos que beijam o anel ao Papa ou se benzem junto ao altar.

Não acreditam, sabem que é mentira, mas quando necessário, jogam o jogo.

Todos jogam o jogo. Temos jogos nacionais e temos jogos internacionais.

Não passam na televisão, mas nas nossas carteiras, nas nossas condições de vida, no estado do mundo em geral.

Vamos a votos. Com consciência. Sem negligência, porque podemos lançar a culpa nos outros. Vamos a votos. Porque realmente queremos o melhor que se pode fazer.

Desiludida

Maria Sou